Segurança automotiva: tudo o que você precisa saber sobre!

12 minutos para ler

Conduzir um veículo representa para muitas pessoas a possibilidade de ter mais conforto e praticidade em suas necessidades de locomoção. Do que não podemos nos esquecer é que o ato de dirigir demanda também uma série de cuidados e muita atenção para se evitar os imprevistos no trânsito.

Essas boas práticas vão desde a realização correta da rotina de manutenções preventivas até a própria postura que adotamos quando estamos ao volante. Quando esses aspectos não são devidamente observados, a segurança automotiva pode ser seriamente comprometida.

De fato, esse é um dos mais importantes elementos para qualquer motorista. Por isso, decidimos elaborar este guia completo que vai te ajudar a pegar a estrada ou dirigir dentro da cidade sem surpresas. Acompanhe!

Qual a importância de um veículo seguro?

Quando dirigimos, é natural que tenhamos em mente chegar ao nosso destino com tranquilidade e sem imprevistos, não é mesmo? O detalhe é que esse objetivo passa diretamente pelas condições de manutenção e conservação do veículo.

Seja um carro, seja uma moto, seja um caminhão, não é segredo para ninguém que as peças e os componentes dos veículos sofrem com a ação do desgaste ao longo do tempo. As consequências podem ir desde leves incômodos ao dirigir até um comprometimento mais relevante do desempenho e da segurança do veículo. Esse é um dos principais fatores causadores de acidentes no trânsito em nosso país.

Dados de um levantamento realizado pela Polícia Rodoviária Federal mostram que os defeitos mecânicos foram a principal causa de mais de 12 mil ocorrências em rodovias entre os anos de 2017 e 2019. Não há dúvidas de que muitos desses casos poderiam ser evitados se os cuidados corretos na manutenção de carro tivessem sido observados. Para reduzir os riscos de acidentes causados por esse mesmo problema, a revisão preventiva é uma das grandes aliadas de todo motorista.

Estamos falando daqueles cuidados realizados antes mesmo do surgimento de problemas, visando justamente a impedir que eles aconteçam. Além de esses serem procedimentos que mantêm o veículo seguro, eles também costumam ser mais rápidos e baratos do que as intervenções corretivas, que são aquelas necessárias quando um problema de fato acontece.

Não se esqueça de que, para além do tempo e dos custos envolvidos na manutenção, um veículo em más condições também afeta de forma direta a segurança dos seus ocupantes e dos demais no trânsito. Certamente, você concordará que seguir os cuidados de manutenção e mantê-lo sempre seguro vale mais a pena do que correr um risco tão grande.

Como a segurança automotiva tem evoluído nos últimos anos?

Junto ao design e ao desempenho, a segurança é mais um aspecto que se beneficia com a evolução do mercado automotivo. Tanto é que existem dados demonstrando que modelos mais antigos podem oferecer até quatro vezes mais riscos aos seus ocupantes em uma colisão em comparação aos mais novos.

O estudo foi realizado em 2017 pelo órgão de segurança no trânsito da Oceania (ANCAP), que colidiu um veículo atual com outro semelhante, só que cerca de 20 anos mais velho. Os resultados deixaram evidente que as tecnologias e recursos implementados pela indústria ao longo do tempo são fundamentais para reduzir os impactos dos acidentes sobre os ocupantes.

Voltando ainda mais alguns anos no tempo, antes da década de 90, era comum que os veículos fossem produzidos a partir de materiais extremamente rígidos, como o aço bruto. Apesar de passar uma ideia de grande durabilidade, era exatamente essa alta resistência que os tornava mais perigosos quando falamos de uma colisão, já que todo o impacto acabava sendo transferido para os ocupantes.

Já faz algum tempo que as fabricantes substituíram o material utilizado na fabricação das latarias. Atualmente, elas são compostas a partir de técnicas de nanotecnologia com base em ligas de diferentes materiais, como alumínio, plásticos e borracha. Isso torna os veículos atuais muito mais seguros em situações de acidente, já que sua capacidade de absorção de impacto é muito maior, reduzindo os reflexos sentidos pelos ocupantes.

As melhorias em segurança automotiva ao longo dos anos, no entanto, vão bem além desse aspecto. Diversos sistemas foram aprimorados e outros foram desenvolvidos para que a prática de dirigir se tornasse cada vez mais segura para todos os envolvidos no trânsito. Determinados recursos, como cintos de segurança mais eficazes, freios ABS, airbags e controles de estabilidade e de tração, por exemplo, já são comuns na maioria dos modelos novos à venda.

Um dos próximos grandes passos da indústria é no sentido de consolidar a tecnologia dos veículos autônomos. Dessa forma, espera-se reduzir o índice de falhas humanas no trânsito, que representam a principal causa de acidentes hoje em qualquer lugar. Mas, enquanto somos nós os grandes responsáveis por uma condução segura, dirigir com atenção e prudência continua sendo a melhor forma de chegar aonde se espera em segurança.

A direção preventiva pode trazer maior segurança?

Você já deve ter ouvido falar sobre direção preventiva, um conceito que busca tornar o trânsito mais seguro a partir da forma como nos portamos ao volante. Isto é, quanto mais aderirmos a tais práticas ao dirigir, menor será a exposição a riscos durante o trajeto.

Na prática, quando dirigimos defensivamente, é como se estivéssemos cuidando de nós e de todos os outros, sejam nossos passageiros, sejam outros veículos, sejam até mesmo pedestres. Afinal, no trânsito, podem ocorrer diversas situações que nem sempre são previsíveis, mas que podem ser contornadas de forma segura com a atitude correta.

É praticamente inevitável que, em algum momento, você se depare com motoristas que não seguirão os mesmos cuidados preventivos, ou ainda com condutores inexperientes, que podem ocasionar situações de risco. Nesses casos, as técnicas de direção preventiva se tornam ainda mais importantes para garantir a segurança de todos.

Lembre-se de que o trânsito é essencialmente formado pelas pessoas que dele participam. Por isso, são as nossas próprias atitudes ao volante que determinarão o quão seguro ele será para nós e para os demais.

Como tomar mais cuidado na hora de dirigir?

Conforme nos habituamos à prática de dirigir, é natural que isso se torne algo muito espontâneo para nós. No entanto, é fundamental estar atento para que isso não prejudique as precauções que devemos ter como condutores para uma direção segura.

Essa rotina de cuidados deve começar antes mesmo de se dar a partida, fazendo uma boa inspeção nos itens de segurança do veículo. O ideal é conferir, sempre que possível, se pneus, luzes, limpadores, buzina, freios, cinto de segurança e até o sistema de refrigeração estão funcionando e em boas condições.

Feito isso, a próxima dica é sempre planejar o seu trajeto com antecedência, buscando antever possíveis problemas no caminho e rotas alternativas que podem ser tomadas. Assim, dá para evitar tanto atrasos quanto a passagem por trechos que poderiam oferecer qualquer tipo de risco.

Conhecer e respeitar as regras vigentes de trânsito também é dever de todo motorista, que deve segui-las à risca quando estiver dirigindo. Essas normas foram elaboradas para garantir o maior nível possível de segurança aos motoristas, passageiros e pedestres. Ignorar o que elas dizem pode resultar não apenas em multas e pontos na carteira, mas, sobretudo, em acidentes que podem até custar vidas.

Procure manter também a máxima atenção para responder a eventuais imprevistos nas vias. Em algum momento, uma criança pode atravessar a rua correndo ou outro veículo pode cruzar seu caminho de forma imprudente. Ligado em tudo o que está acontecendo, será mais fácil passar por essas situações sem causar maiores problemas.

Quais os principais itens de segurança que não podem faltar em um carro?

Como já adiantamos neste post, os itens de segurança podem ser de grande ajuda para reduzir as situações de risco no trânsito. Vamos, agora, explicar melhor quais são esses itens e como eles ajudam a tornar a direção mais segura.

Pneus

É claro que nenhum veículo vai sair por aí sem pneus, mas, infelizmente, não é raro encontrar alguns rodando em más condições de conservação. Essa é uma situação muito perigosa, pois, assim, eles se tornam mais frágeis e suscetíveis a sofrer algum dano, o que pode comprometer seriamente a dirigibilidade de qualquer veículo.

No caso dos pneus carecas, o risco se torna ainda maior em dias de chuva ou em pistas molhadas. Isso porque, nessa condição, os pneus perdem a capacidade de expelir o que fica entre eles e o solo, facilitando a ocorrência da aquaplanagem — também conhecida como aqua-frenagem.

Estepe

O mesmo cuidado que temos com os pneus em uso devem ser dispensados ao estepe. Ele também precisa estar em boas condições de uso para que possa ser instalado em caso de necessidade. As ferramentas para esse trabalho, que são um macaco, uma chave de roda e o triângulo de sinalização, da mesma forma, precisam estar à mão para possibilitar uma eventual substituição dos pneus.

Sistema de iluminação

O sistema de iluminação de um veículo é formado principalmente pelos faróis, pelas setas, pelas lanternas e pelas luzes de ré. Ele permite ao condutor enxergar de forma adequada as vias em trechos mais escuros e à noite, bem como facilita a visualização do veículo por parte dos outros motoristas.

Espelhos

Retrovisores internos e externos ajudam o condutor a se localizar no meio dos demais veículos, permitindo que manobras e mudanças de faixa sejam feitas com segurança. Caso algum deles esteja com o espelho quebrado ou com a visualização comprometida, a substituição deve ser feita o quanto antes.

Cinto de segurança

Apesar de o uso ser obrigatório há mais de 20 anos, muitos motoristas e passageiros ainda ignoram a orientação de utilizar o cinto de segurança. Essa é uma atitude muito simples, mas que pode fazer toda a diferença para a nossa integridade física no caso de uma colisão.

Quais as principais dicas para uma direção segura?

A essa altura, é provável que você já tenha compreendido a importância dos cuidados relacionados à segurança automotiva. Para ajudá-lo a colocá-los em prática, listamos agora algumas dicas das quais você deve sempre se lembrar. Confira.

Jamais beba e dirija

Já é consenso entre praticamente todas as pessoas a ideia de que bebida e direção não combinam. A verdade é que o consumo de álcool, mesmo que em pequenas quantidades, pode prejudicar sentidos importantes para quem está na direção de um veículo, reduzindo o seu tempo de resposta a diversas situações.

Vale lembrar ainda que, se o fato for flagrado pela fiscalização, a multa aplicada é alta e o motorista pode até perder a carteira de habilitação. Níveis elevados de álcool no sangue ainda podem fazer com que uma simples ocorrência de trânsito se transforme em um registro criminal, o que trará graves consequências ao condutor.

Não ultrapasse em curvas

A ultrapassagem é sempre um dos momentos mais arriscados na relação entre os veículos no trânsito. Por isso, ela deve ser realizada apenas quando a via oferecer condições suficientes de segurança para a manobra.

Para isso, é preciso considerar tanto a sinalização viária, seja por meio de placas, seja por meio de pintura no solo, quanto a movimentação daqueles que vêm em sentido oposto. Tomando esse cuidado e ultrapassando somente quando essas duas condições permitirem, você reduz os riscos e pode seguir a viagem com tranquilidade.

Entenda como o seu veículo funciona

Ninguém precisa ser um grande entendedor da parte mecânica para ser um bom motorista, isso é fato. Contudo, entender alguns conceitos básicos sobre o funcionamento do seu veículo é um atributo que pode, sim, ser útil em muitos casos.

Conhecer o princípio de funcionamento de seus sistemas e componentes lhe garantirá menos dependência de outras pessoas na hora de descobrir a razão de um problema ou até para fazer pequenos reparos. Isso também permitirá que você identifique quando um entrave apresentado é grave e compromete a segurança, para que um auxílio profissional seja procurado o quanto antes.

Faça revisões regularmente

Qual foi a última vez que você levou o seu carro para uma revisão? A fim de conseguir se organizar, uma boa dica é desenvolver um cronograma de revisões bem definido, que leve em conta o modelo, o ano e a forma de uso do veículo.

Procure ainda por oficinas e profissionais de confiança para esses procedimentos, que contem com bons profissionais e garantam o uso de peças e componentes de alta qualidade. Esses são requisitos fundamentais para que o serviço seja bem-feito e seu veículo esteja sempre seguro para qualquer necessidade.

Como vimos ao longo deste post, o tema da segurança automotiva envolve desde a forma como dirigimos até os cuidados relacionados à manutenção dos veículos. Quando esses conceitos são colocados em prática, os resultados podem ser vistos no trânsito, que se torna mais seguro para todos.

Além dessas, temos muitas outras dicas valiosas para motoristas. Fique por dentro de todas assinando a nossa newsletter e receba nossos próximos posts em sua caixa de e-mail!

Posts relacionados

Deixe um comentário