Qual é o melhor caminhão para fretes? Saiba tudo neste guia completo

13 minutos para ler

Você já se perguntou qual é o melhor caminhão para frete? Então, saiba que a resposta está neste artigo. 

Todo motorista que deseja investir em um veículo novo se depara com a dúvida de qual escolher. Afinal de contas, o mercado automobilístico de uma forma geral tem buscado disponibilizar para o seu público cada vez mais opções de automóveis para atender os mais diferentes perfis e objetivos. Por isso, é natural que diante de tantas possibilidades haja uma hesitação no momento de fechar o negócio.

Sendo assim, para acabar com essa insegurança e ajudar você a fazer a escolha certa devemos deixar claro que o primeiro passo é saber quais são as suas necessidades e objetivos, já que ter isso claro em sua mente faz com que sua atenção seja direcionada para um (ou mais) modelo específico de caminhão.

Um veículo para a realização de fretes, por exemplo, é preciso considerar quais os tipos de mercadorias que serão transportadas, condições das estradas, distâncias a serem percorridas, se o serviço será prestado na zona rural ou no ambiente urbano e assim por diante. Isso porque todos esses fatores influenciam na escolha do caminhão. 

Sabendo que todo fretista precisa considerar esses pontos para acertar na escolha, preparamos este artigo para apresentar para você os melhores modelos de caminhões para frente do mercado automobilístico. Acompanhe a leitura!

Truck

O caminhão truck, também conhecido pelos nomes trucado ou 6×2, é o modelo mais popular entre os caminhoneiros. A principal característica desse veículo é a combinação de um conjunto de eixos mistos, sendo um simples (contendo uma roda de cada lado na parte dianteira) e um duplo (com duas rodas de cada lado na parte traseira).

Com 14 metros de comprimento, o caminhão truck apresenta ótimo desempenho na estrada devido à presença do eixo duplo que trabalha diretamente na força do motor. Dependendo da configuração que for feita nesse modelo, sua capacidade de peso bruto total pode chegar até 19.5 toneladas. Por esse motivo, trata-se de um veículo específico para o uso em estradas e rodovias, logo, não é indicado para circular no meio urbano embora existam algumas exceções.

O caminhão truck pode ser adaptado aos seguintes modelos de carrocerias abertas, veja só:

  • grade baixa: esse modelo de carroceria é ideal para quem deseja transportar e descarregar cargas de uma forma mais prática e fácil. Nesse caso, é bastante usada para carregar mercadorias secas armazenadas em caixas, carvão, barras de aço, chapas etc.;
  • grade alta ou graneleira: esse tipo de carroceria tem grades mais altas e, por isso, é ideal para transportar alimentos secos, como os grãos e cereais e materiais para a zona rural como adubo e fertilizantes;
  • plataforma: já esse modelo de carroceria é utilizada para transportar outros veículos em situações que precisa de um reboque;
  • porta container: trata-se de um modelo de carroceria específico para o transporte de container, por isso, apresenta apenas encaixes para segurar a carga.

Sendo assim, percebemos que o caminhão truck pode ser usado tanto para transportar cargas leves quanto pesadas. Além dos modelos de carrocerias abertas existem as opções:

  • baú — trata-se de uma alternativa bastante utilizada pelos frigoríficos e demais empresas que precisam carregar produtos perecíveis que necessitam de refrigeração;
  • caçamba basculante — modelo muito utilizado pelas empresas de construção civil e mineradoras para transportar areia, terra, pedras etc.

Caminhão bitruck

O caminhão bitruck é uma versão do modelo truck com eixos duplos tanto na parte dianteira quanto na parte traseira. Logo, tem o peso bruto total de 23 toneladas. Assim como o modelo com eixos mistos, o bitruck também pode ser adaptado aos mesmos tipos de carroceria, mas com o diferencial de poder transportar um volume de carga maior. Além disso, pode ser configurado para carregar produtos inflamáveis em tanques próprio para esse tipo de transporte.

Cavalo mecânico trucado

Também conhecido por caminhão-trator ou SL, o cavalo mecânico trucado trata-se de um conjunto de cabine, rodas de tração e motor que tem a capacidade de carregar uma composição composta por até três semirreboques ou reboques, um módulo de carga ou um semirreboque. Tudo isso graças a um engate fixado na quinta roda. Sendo assim, a configuração desse modelo pode ser:

  • simples;
  • trucados; 
  • bitrucados.

Um grande diferencial do cavalo mecânico é a sua capacidade de transportar diversos tipos de semirreboques. Para isso basta desengatar um módulo e engatar o seguinte. Essa vantagem permite que o condutor se ajuste a diferentes necessidades de transporte.

Mas lembre-se, para obter total autonomia é preciso investir em um módulo de carga e seguir a risca o cronograma de manutenção da quinta roda para garantir que o engate dos semirreboques ou reboques sejam feitos com segurança.

Devemos acrescentar também que o cavalo mecânico trucado tem bastante semelhança com o modelo de três eixos, já que ambos têm comprimento máximo de 18,5 metros. No entanto, o que difere uma versão da outra é justamente o modelo de veículo que é transportado (cavalo mecânico), o posicionamento dos eixos e a capacidade de carga.

A disposição dos eixos nesse tipo de veículo influencia bastante no peso bruto total, pois o fato de ter um eixo na parte dianteira e dois na traseira faz com que o caminhão tenha capacidade de transportar até 48,5 toneladas de carga.

Bitrem

O bitrem também é um tipo de caminhão que faz uso do modelo de cavalo mecânico, no entanto tem dois semirreboques unidos entre si, por meio da quinta roda. De modo geral, o bitrem apresenta uma estrutura de veículo graneleiro, pois é bastante utilizado para transportar mercadorias a granel, como carvão, minérios, grãos etc.

O grande diferencial desse modelo de caminhão é o desempenho superior que ele apresenta quando está em atividade. Essa característica fez com que o bitrem se tornasse popular entre os caminhoneiros e empresas de transporte. Segundo a legislação brasileira, esse veículo não pode ultrapassar 30 metros de comprimento.

Graças a sua capacidade de transportar até 57.000 quilos de carga, o bitrem é muito utilizado em regiões portuárias. O modelo mais comum é o que tem sete eixos, ou seja, dois semirreboques acoplados. 

Para garantir que o caminhão tenha uma boa performance na estrada, são utilizados cavalos bitrucados, pois é necessário que haja tração nos dois eixos traseiros. Embora, o modelo com dois semirreboques seja o mais comum é possível incluir um terceiro semirreboque para proporcionar uma capacidade de carga de até 74 toneladas.

Carreta 2 eixos

A carreta com dois eixos têm um cavalo mecânico e um semirreboque (que pode ser truck ou separado) ambos de dois eixos. Esse modelo de caminhão foi desenvolvimento para suprir a falta de agilidade na distribuição de cargas no meio urbano. Por esse motivo, tem um comprimento menor para facilitar a realização de manobras e, sobretudo, o deslocamento.

Normalmente, as carretas com dois eixos seguem o padrão de veículo graneleiro. Ou seja, suas tampas têm estruturas rígidas de aço com acabamento que impede a corrosão do material. Além disso, as placas são em compensado naval para facilitar a manutenção e o manuseio.

A suspensão é pneumática e pode ser aplicada nos dois eixos para garantir maior estabilidade, segurança, conforto, dirigibilidade e mais economia para o proprietário, já que prolonga a vida útil dos pneus do caminhão.

Sendo assim, podemos citar como as principais características da carreta de dois eixos:

  • comprimento de 10,5 m;
  • menos quantidade de pneus;
  • tara de 6.100 quilos;
  • capacidade de carga acima de 28 toneladas;
  • mais economia;
  • maior estabilidade;
  • menor investimento em pedágios.

Já nos modelos que têm três eixos no cavalo mecânico e dois eixos no semirreboque o comprimento máximo é de 18 metros e a capacidade máxima de carga é de 33 toneladas. 

Carreta 3 eixos

Da mesma forma que a acontece com os caminhões, as carretas também são classificadas conforme as suas características. Ou seja, é observado o tamanho do veículo, a quantidade de eixos e a capacidade total de carga. Logo, existem três principais grupos de classificação:

  • carreta com dois eixos;
  • carreta com três eixos;
  • carreta cavalo trucado.

O modelo com dois eixos costuma ser o mais utilizado para o transporte de carga. No entanto, quando existe a necessidade de transportar uma quantidade maior de mercadorias, a carreta com três eixos ou o cavalo trucado ganham a preferência. Por esse motivo, esses dois modelos são muito comuns em regiões portuárias e em produtoras de cana-de-açúcar.

Isso porque a carreta com três eixos tem uma capacidade de carga de 23 toneladas com peso bruto de 41,5 mil quilos e o comprimento de 18,5 metros. Além disso, esse modelo conta com um cavalo mecânico com dois eixos na parte traseira podendo ser tracionado ou não.

Rodotrem

O rodotrem pode ser considerado como um gigante na estrada. Esse modelo, é composto pela junção de um cavalo mecânico com dois (ou mais) semirreboques. A união acontece da seguinte forma: o primeiro semirreboque é acoplado ao cavalo mecânico, enquanto o segundo, utiliza a carreta dolly como meio de ligação. Aliás, o uso da carreta dolly será necessário para interligar todos os semirreboques ao primeiro, ok?

Obviamente, por causa do seu tamanho o rodotrem é utilizado para transportar grandes quantidades de cargas. Aqui no Brasil, a legislação determina que esse modelo de veículo faça uso de um cavalo mecânico com tração do tipo 6X4 nos dois eixos traseiros para que haja uma melhor performance na estrada. Além disso, a quantidade de carga mínima de um rodotrem é de 74 toneladas com comprimento entre 25 a 30 metros. 

Sendo assim, o rodotrem brasileiro contém três conexões: 

  1. quinta roda do caminhão;
  2. engate dianteiro da carreta dolly;
  3. quinta roda da carreta dolly.

O que é carreta dolly?

Trata-se de um equipamento que quando acoplado a quinta roda do caminhão permite conectar os semirreboques uns aos outros formando uma espécie de reboque. Além disso, a carreta dolly ajuda na melhor distribuição de peso do veículo facilitando o transporte de carga. 

O que é quinta roda?

Assim como a carreta dolly, a quinta roda trata-se de um equipamento cuja a função é garantir a ligação entre o cavalo mecânico e a carreta, por isso está localizada na parte traseira do veículo. Uma característica importante dessa peça é que além de facilitar o transporte de carga ela também ajuda na prevenção de acidentes no trânsito.

Por isso, é de suma importância que o condutor do veículo invista em uma peça de qualidade que tenha capacidade para sustentar o peso do veículo, pois imagine que um caminhão que transporta 74 toneladas, por exemplo, mas utiliza uma quinta roda inferior os riscos da carreta ir para cima da cabine são muito grandes.

Sem contar os riscos de ocorrer outros tipos de acidentes envolvendo o rompimento dos elos. Então, para garantir a sua segurança e de todos que utilizam a via tenha bastante cuidado no momento de escolher os equipamentos que farão as conexões dos semirreboques com o cavalo mecânico do seu caminhão.

Quais são os principais tipos de carroceria para o transporte de carga?

Como mencionamos no início deste artigo, considerar o tipo de carga e a quantidade que será transportada é essencial para ajudar no processo de escolha do caminhão para frete. Como você já sabe, são muitas as configurações que podem ser feitas para facilitar o transporte rodoviário de carga. Obviamente, o preço de compra e os custos com a manutenção e consumo de combustível também variam conforme o modelo escolhido.

Então, para deixar ainda mais claro as opções confira agora quais são os tipos de carroceria que você pode considerar:

  • baú simples: trata-se de uma carroceria fechada cuja o objetivo é proteger a mercadoria transportada contra possíveis danos;
  • grade baixa: carroceria aberta. Sua principal característica é facilidade de transportar e a descarregar as mercadorias;
  • graneleiro: também trata-se de um modelo de carroceria aberta que permite transportar cargas a granel em grandes quantidades;
  • baú refrigerado ou frigorífico: carroceria fechada específica para o transporte de cargas perecíveis que necessitam de refrigeração adequada durante o transporte;
  • tanque: carroceria fechada utilizada para transportar líquidos e gases;
  • baú sider: trata-se de uma carroceria que tem aberturas, por isso é utilizada para transportar mercadorias paletizadas ou encaixotadas que não necessitam de tanta proteção;
  • caçamba basculante: é um tipo de carroceria aberta que permite o escoamento da carga. Por isso é bastante utilizada para transportar materiais como areia, brita, terra etc.;
  • plataforma: modelo aberto, utilizado para transportar outros veículos ou máquinas;
  • porta contêiner: específico para o transporte de contêineres.

Percebe que para cada tipo de carga existe uma opção de carroceria? Então, é muito importante avaliar bem o tipo de mercadoria que você pretende trabalhar para escolher o modelo certo que atenda os seus objetivos e supra as necessidades de seus clientes. Vale ressaltar que considerar o limite de carga que será transportado evita que você invista em um veículo grande sem uma real necessidade.

Tenha em mente que quanto maior for o veículo maior serão os gastos com manutenção, impostos e seguros. No entanto, optar por um caminhão que não tenha a capacidade de carga suficiente para que você realize os fretes também não é uma boa escolha. Então, a solução está em estipular com cuidado o limite de mercadoria que você pretende trabalhar.

Diante dessas informações, já sabe qual é o melhor caminhão de frete para você? Tendo em vista que essa aquisição requer um investimento alto, reformamos mais uma vez a importância de escolher com cuidado lembrando de levar em consideração a sua realidade e a do segmento que se pretende atuar. Além disso, tenha atenção aos acessórios que influenciam no desempenho e segurança do veículo, como a quinta roda, a carroceria dolly e os pneus, ok?

Gostou deste artigo e já sabe qual o melhor caminhão para fretes? Então, assine agora mesmo a nossa newsletter para receber mais conteúdos de temas relacionados.

Posts relacionados

Deixe um comentário