Gasolina ou etanol, qual escolher? Conheça os mitos e verdades. 

6 minutos para ler

Gasolina ou etanol? Eis a questão! Apesar de não ser um dilema, essa decisão ainda preocupa muitos consumidores brasileiros. Afinal de contas, qual é a melhor opção? É com isso em mente que aproveitamos o momento para elaborar este conteúdo especial sobre o tema!

O nosso objetivo é esclarecer os principais mitos e verdades, melhorando a sua tomada de decisão. Para isso, selecionamos as opiniões mais recorrentes sobre o assunto para, em seguida, explicar se essas informações são verdadeiras ou falsas. Então, não perca tempo e acompanhe!

A importância de saber escolher entre gasolina ou etanol

Talvez, você esteja se perguntando: “Por que isso importa?”. Afinal, independentemente da sua escolha, o abastecimento vai garantir o deslocamento do seu carro. A grande questão é que ambas as alternativas — gasolina e etanol — oferecem vantagens específicas para o seu veículo.

No entanto, a desinformação corre solta e é fundamental entender do que se está falando, tanto para ensinar os seus colegas quanto para preservar a durabilidade do seu automóvel. Isso porque, como você perceberá nesta leitura, a escolha que faz na bomba vai muito além do consumo de combustível.

Os principais mitos e verdades sobre a gasolina e o etanol

Então, chega o momento de conhecer a realidade. No total, selecionamos oito frases comuns no ambiente popular que, muito provavelmente, você já escutou em alguns postos, oficinas e afins. Agora, descubra a verdade sobre cada uma dessas informações!

“O motor é prejudicado ao ser abastecido com etanol”

Mito. Assim como toda desinformação, é difícil rastrear sua origem ou objetivo, mas saiba que essa informação não condiz com a realidade. Quando falamos de motores flex, é importante entender que são conjuntos mecânicos desenvolvidos para suportar diferentes tipos de combustão.

No entanto, essa frase pode ser verdadeira se considerarmos os motores monocombustíveis, que só podem ser abastecidos com gasolina ou diesel. Nesse caso, injetar uma composição estranha ao motor causará problemas sérios aos componentes internos.

“O etanol ajuda a manter o motor mais limpo”

Verdade. Inclusive, isso remete à própria composição química do etanol, que é substancialmente mais limpa do que a gasolina, que é um derivado do petróleo. Sobre a limpeza do motor, isso acontece porque o etanol é menos propenso à sedimentação, evitando o acumulo de partículas nos bicos e nas galerias internas.

“O uso de apenas um combustível pode viciar o conjunto mecânico”

Mito. Tratando-se de motores flex, eles foram especificamente desenvolvidos para suportar o abastecimento — permanente ou alternado — de dois combustíveis diferentes. Já em um motor monocombustível, não há como existir vício, pois a única fonte de alimentação é a que funcionará na combustão do conjunto.

Além disso, a ideia de vício na mecânica é normalmente mal interpretada. Quando se fala de vícios, como em vícios na direção, a expressão está mais ligada aos maus hábitos de condução do que a uma predisposição de um conjunto mecânico trabalhar de maneira tendenciosa em torno de uma repetição.

“A gasolina rende mais”

Verdade. Inclusive, essa é uma das noções mais populares sobre a gasolina, que realmente oferece uma autonomia maior, resultando em melhores médias de consumo por quilômetro rodado. Em uma análise direta, o etanol tende a render no máximo 75,4% da autonomia entregue pela gasolina.

“O combustível aditivado melhora o rendimento”

Mito. Assim como todo produto diferenciado, o combustível aditivado oferece benefícios ao veículo, mas melhor rendimento não é um deles. Nesse sentido, é importante entender que tanto a gasolina quanto o etanol aditivados entregam o mesmo consumo médio que as suas alternativas convencionais.

No fim das contas, o que realmente faz a diferença sobre as médias de consumo são os cuidados específicos que você demonstra na preservação do seu veículo. Até porque são os componentes em boas condições que impedem o avanço do desgaste e a queda da eficiência do conjunto mecânico.

“O combustível aditivado melhora o desempenho”

Verdade. No entanto, uma verdade sutil. O combustível aditivado é, sim, capaz de oferecer um ganho marginal no desempenho do veículo, mas isso não acontece por conta de uma mistura especial que torna a performance mais agressiva.

Na realidade, os aditivos são meros acréscimos limpantes e lubrificantes. Com isso, a mistura aditivada promove a limpeza das galerias internas, desobstruindo bicos injetores e eliminando acúmulos de partículas metálicas.

Com um interior mais limpo, o motor apresenta um funcionamento mais fluido, com uma queima mais rápida. O efeito prático disso é uma melhora na percepção de desempenho, mas que em nada se compara ao salto experienciado na transição da gasolina para o etanol.

“O primeiro abastecimento sempre deve ser com gasolina”

Mito. Em primeiro lugar, por ser praticamente impossível. Mesmo que você esteja tirando o carro zero, você não será o primeiro a abastecê-lo, mas, sim, a montadora ao realizar os deslocamentos de pátio. Em segundo, porque isso não interfere em nada quando falamos de motores flex, que, novamente, são desenvolvidos com foco na compatibilidade.

“O etanol dificulta a partida em dias frios”

Meio mito, meia verdade. Em carros novos, isso não condiz com a realidade, pois já faz mais de uma década que os veículos são fabricados com, pelo menos, tanquinhos de assistência para partida a frio, abastecidos especialmente com uma pequena reserva de gasolina.

No entanto, essa frase é verdadeira para os carros antigos que não contam com soluções para esse problema. Inclusive, foi daí que surgiu aquela imagem popular das pessoas com carro a álcool, que, no inverno, precisam deixar o motor aquecendo por uns minutos antes de sair de casa.

A decisão entre gasolina ou etanol

Para encerrar, é interessante conhecer alguns fatores centrais na sua decisão. Mas, antes, frisamos a importância de contar com bons pneus para conseguir melhores médias de consumo. Veja:

  • a gasolina rende mais;
  • o etanol oferece melhor desempenho;
  • o etanol é mais barato, mas só vale a pena quando o seu preço é de até 70% do valor cobrado na gasolina;
  • com maior autonomia, a gasolina é uma escolha mais interessante para viagens longas;
  • ambos os combustíveis são positivos para veículos flex, desde que você respeite os calendários de revisão e manutenção.

Por fim, vale destacar que são os pneus os componentes mais importantes em um carro, sendo fundamentais a uma série de aspectos da sua condução, sobretudo quando pensamos em termos de segurança e dirigibilidade.

E aí, você gostou deste post esclarecendo a decisão entre gasolina ou etanol? Então, aproveite para ser atualizado com mais conteúdos desse tipo. Para isso, basta acessar e curtir a nossa página no Facebook ou Instagram!

Posts relacionados

Deixe um comentário