O que você precisa saber sobre estepe de pneus? Veja aqui!

7 minutos para ler

O seu pneu estourou, e agora? Você sabe o que fazer? No geral, após perceber a danificação no pneu, o veículo é estacionado e é dado início ao processo de troca pelo estepe, não é mesmo? Afinal de contas, devido à grande possibilidade de ocorrer um imprevisto enquanto se está na estrada, essa cena se torna bastante comum na rotina dos motoristas. 

No entanto, você sabia que existem algumas regras específicas para o uso do estepe? Conhecer essas diretrizes ajuda você a evitar a possibilidade de precisar de um estepe e não encontrá-lo em boas condições de uso ou instalá-lo no veículo e achar que pode percorrer longas distâncias com o pneu reserva e “está tudo bem”, quando, na verdade, não está.

Se você não sabia sobre a existência dessas orientações e, agora, quer saber como utilizar o estepe de forma correta, não deixe de ler este artigo, pois vamos esclarecer as principais informações sobre o uso do estepe de pneus. Acompanhe a leitura!

O que é um estepe de pneu?

Quem já está familiarizado com um veículo sabe que, no porta-malas, sempre tem um pneu reserva para os casos de emergência. Esse pneu nada mais é do que o estepe. Considerando a possibilidade de ocorrer um imprevisto na estrada, é muito importante que você, como responsável pelo veículo, fique atento ao estado de conservação desse item.

Isso porque, mesmo que tenha sido pouco usado (ou nunca usado), o estepe, assim como os demais pneus do carro, também precisa de alguns cuidados para garantir a sua conservação por mais tempo.

Afinal de contas, já pensou precisar de um pneu reserva, porque o outro furou, e, na hora de trocar, perceber que o estepe está vazio? Além da frustração de não conseguir solucionar o seu problema, você teria que recorrer a alternativas para garantir o funcionamento do veículo, já que o pneu é um acessório essencial para manter o movimento do carro.

Diante disso, fica claro que o estepe é uma medida de segurança que, justamente por ser um acessório de reserva, precisa estar em boas condições para evitar maiores dores de cabeça em situações de emergência.

O que a legislação diz sobre o uso do estepe de pneu?

Já ressaltamos a importância de ficar atento aos cuidados com o estepe do pneu. Mas, antes de citar quais seriam esses cuidados, vamos explicar o que a legislação diz sobre o assunto. A princípio, o responsável por estabelecer as normas que serão seguidas pelos fabricantes e pelas montadoras é o CONTRAN (ou Conselho Nacional de Trânsito). No caso dos pneus reserva, ou estepes, a norma que rege o uso é a resolução CONTRAN nº 14/98, nº 259/07 e nº 540/15.

Como você já deve saber, o sistema de rodagem do veículo é composto basicamente por rodas, pneus e válvulas de segurança. Considerando que existe a possibilidade de acontecer um imprevisto, é necessário que o condutor tenha à sua disposição um triângulo, um macaco, a chave de roda e, claro, um estepe.

No entanto, existem alguns sistemas alternativos que não necessitam desse conjunto. Nesse caso, estamos falando dos pneus Run Flat, que podem circular “sem ar” ou “sem pressão”. Esse modelo de pneu tem, dentro de si, selantes que inflam quando a borracha é perfurada. Em veículos que fazem uso desse sistema, o condutor não comete infração ao trafegar sem os equipamentos obrigatórios.

No entanto, para os demais tipos de veículos, a regra continua valendo. Logo, se o condutor for pego sem os equipamentos de segurança cometerá infração grave. Nesse caso, além de correr o risco de ter o veículo apreendido, pode ser multado em R$ 195,23 e perder 5 pontos na CNH.

Então, o estepe pode ser considerado um item obrigatório?

Segundo a resolução do CONTRAN nº 14/98, o estepe, somado à chave de roda e ao macaco, podem ser itens dispensáveis nas seguintes situações:

  • em veículos que fazem uso do modelo de pneus Run Flat que permite o enchimento automático em casos de emergência;
  • em ônibus e micro-ônibus destinados para o transporte urbano de passageiros;
  • em carros blindados utilizados para transportar objetos de valor, como os carros-fortes;
  • em caminhões de lixo ou de concreto.

Vale ressaltar que a resolução CONTRAN nº 259/07 estabelece uma observação interessante sobre o uso dos equipamentos em veículos com até 3,5 toneladas de peso bruto total. No caso desses modelos, o uso dos equipamentos só será dispensado mediante requerimento do fabricante, atestando que o veículo faz uso do sistema alternativo.

Já a resolução CONTRAN nº 540/15 é responsável por definir as características tanto das rodas e dos pneus sobressalentes quanto dos sistemas alternativos de rodagem dos veículos das categorias M1 (carros de passeio) e N1 (veículos pesados com peso bruto total de, no máximo, 3,5 toneladas).

De forma geral, a resolução estabelece que o pneu estepe deve ter o mesmo diâmetro que as demais rodas do veículo. No entanto, abre uma exceção para a possibilidade de ter diferença no diâmetro desde que a segurança e a performance do veículo não sejam afetadas. Além disso, é orientado que os fabricantes informem a velocidade máxima a ser atingida pelo estepe, bem como deixem claras para o proprietário as condições de uso e as restrições de funcionamento do pneu reserva. Outros pontos de atenção que a resolução determina são os seguintes:

  • o estepe pode ser usado até os sulcos da banda de rodagem alcançarem profundidade de 1,6 mm;
  • o pneu deve seguir as exigências do INMETRO, por isso, antes de efetuar a compra, confira a autenticidade do selo de qualidade;
  • os modelos de pneus Run Flat devem ser equipados com selante e demais materiais para garantir o enchimento do pneu em até 10 minutos.

É possível rodar com o estepe?

O pneu de estepe é considerado um item para casos de emergências. Por isso, engana-se quem pensa que ele é um acessório comum que pode ser utilizado para trafegar longas distâncias.

Então, assim que o estepe for instalado no veículo, o condutor deve desfazer a troca o mais rápido possível, de preferência, até encontrar uma oficina mecânica mais próxima.

Isso porque as montadoras têm optado por utilizar estepes mais finos que os demais pneus, já que essa medida permite maior economia no espaço e no peso. Sendo assim, a performance deixa de ser a mesma, pois um pneu reserva com espessura diferente suporta até 80 quilômetros por hora, o que se torna inviável para usar em rodovias e vias urbanas.

O mesmo também vale para os modelos de pneus Run Flat. Após sofrer uma avaria e acionar o sistema de pressão que manterá a rotação das rodas, o condutor deve ir até uma oficina mecânica para ajustar o problema e desfazer a troca.

Quais são os cuidados necessários com o pneu estepe?

Assim como os demais tipos de pneus, o estepe também requer cuidados para garantir a sua preservação e a durabilidade. Nesse caso, o condutor deve, primeiramente, ficar atento ao prazo de validade do pneu e a realizar a calibragem correta frequentemente. Além disso, deve sempre observar se não há avarias ou desgastes dos sulcos.

Portanto, com base nessas informações, percebemos que o estepe de pneus requer uma atenção diferenciada dos demais. Caso precise comprar um novo estepe, basta comparecer até uma loja especializada em pneus e verificar com o atendente o modelo ideal para o seu veículo. Outra opção, vale dizer, à qual muitos motoristas aderem é a utilização de um pneu “normal” como estepe para evitar maiores dores de cabeça.

Gostou do artigo e quer saber mais sobre o assunto? Então, entre em contato conosco agora mesmo!

Posts relacionados

Deixe um comentário